CHAMADO DIVINO FEITO A TODA HUMANIDADE NAS APARIÇÕES DE JACAREÍ-SP-BRASIL

terça-feira, 17 de maio de 2016

Estudos Sobre Aparições de Nossa Senhora Segundo o Padre René Laurentin

Estudos Sobre Aparições de Nossa Senhora Segundo o Padre René Laurentin

PREFÁCIO

Aqui estão alguns estudos colhidos sobre aparições, escritos pelo Padre René Laurentin, um dos maiores, senão o maior mariólogo da atualidade, teólogo de fama internacional. Autor de monografias e contribuições de notável valor sobre a mariologia. Ele lecionou mariologia em Angers (França), Montreal (Canadá), Dayton (USA), Recife (México), Santiago do Chile e em Saigon. Alguns Bispos lhe pediram para estudar todos os casos de aparições mais importantes de mais de 20 anos para cá.

Em 1988 ele, após 20 anos de sérias pesquisas pelo mundo todo, inclusive Japão, Coréia e tantos outros, publicou o primeiro livro sobre estas pesquisas, com aprovação eclesiástica, apresentando vários casos de aparições autênticas na atualidade. O livro original em Francês, teve sua tradução em italiano em 1989: " Le apparizioni della Vergine si moltiplicano". Ed. Piemme. Suas obras em italiano são publicadas também pelas editoras Paulinas, Queriniana e Marietti.

Como este Padre é um importante representante de nossa Igreja Católica nos estudos de aparições e suas afirmações são acatadas pelo Vaticano, como devemos manter a unidade e submissão à nossa Igreja, achamos por bem fornecer algumas passagens desse documento que tanto pode nos ajudar no discernimento dos fatos sobre aparições.

Outras explicações foram acrescentadas baseadas em bibliografias também de grande seriedade e importância.

Fiéis Leigos Católicos Marianos

1 - POR QUE HÁ UMA TENDÊNCIA EM DESACREDITAR EM TODAS AS APARIÇÕES

RESPOSTA: O descrédito generalizado pelas aparições tem suas origens, segundo René Laurentin, em primeiro lugar, na onda de desmitização começada pelo protestante alemão Rodolfo Bultmann, o qual, a partir de 1921, começou a publicar suas obras exegéticas procurando "desmitisar" os Evangelhos de tudo o que é maravilhoso, sobrenatural. Assim, por exemplo, ele nega que tenha sido um anjo que apareceu a Maria na Anunciação: teria sido apenas um pensamento que Deus lhe infundiu. Nega a ressurreição do corpo de Cristo, enfim, tudo o que é milagroso nos Evangelhos. Esta onda contaminou também exegetas, tanto leigos como Padres. Daqui, segundo Laurentin, começa certa tendência, também no clero, a desacreditar todas as aparições.

" A filosofia idealista que, depois de Kant e Hegel, domina a nossa época, diz Laurentin, mais profundamente e mais radicalmente que Bultmann, reduzia quase totalmente ao subjetivismo não só as aparições ou comunicações com o outro mundo, mas também todos os milagres e a própria ressurreição de Cristo. Esta filosofia ... fez prevalecer em todas as coisas o subjetivismo, de modo especial em matéria de aparições ...

" A psicologia de Freud impeliu o próprio clero a interpretar do modo mais sistemático possível as aparições como produto da subjetividade: " O fato duma vidente, inclusive Bernadette, ver a Virgem, enquanto que quem a circunda não a vê, por mim deve ser definido, clinicamente e cientificamente, uma alucinação ", dizia Oraison ".

'" Assim, conclui Laurentin, tornou-se virtude o cultivo da dúvida e da suspeita (em matéria de aparições) como se fossem o nec plus ultra (o máximo grau) do rigor cientifico. E assim se destruiu a própria fé! .... As aparições freqüentemente produzem a verdade no povo fiel que volta a Deus, à oração, à caridade e forma, assim, comunidades vivas na fé ...

Todos os fatores que mencionamos até aqui depreciaram as aparições e levaram à sua repressão. Muitas comissões de peritos (psicólogos, teólogos, e outros) freqüentemente julgam estes fenômenos raros somente pelo aspecto externo, de acordo com o esquema das suas ideologias críticas, sem a necessária capacidade de compreender os fatos religiosos ... Por causa disto, a capacidade profética e a capacidade de discernimento da Igreja ficaram abafados. Os guias espirituais, peritos qualificados neste campo difícil, retrocederam perante psicólogos e psicanalistas pensando que eles estariam em condições de estudar estes fenômenos de um modo mais modernos e mais cientifico. Deixou-se, assim, o campo livre às suas técnicas, nas mais das vezes estranhas a tudo o que é espiritual e à atuação de Deus. Com isto, a direção espiritual e o discernimento pbjetivo perderam terreno dentro da Igreja em prejuízo das aparições ...

O descrédito nas aparições atingiu seu máximo nos anos de 1950 a 1980.

2 - ALÉM DO CONVITE DE ALGUNS BISPOS PARA O PADRE RENÉ LAURENTIN ESTUDAR PROFUNDAMENTE SOBRE OS ASSUNTOS DE APARIÇÕES, O QUE MAIS O MOTIVOU?

RESPOSTA: Quando um homem, que se converteu em Medjugorje, ouviu um sacerdote dizer-lhe:

" O Sr. está na ilusão e na desobediência porque estas aparições não são ainda reconhecidas pela Igreja, etc." ficou abalado e perplexo: " Eu não tinha fé. Se estas aparições que me restituíram a fé, no pensar da Igreja são uma ilusão, não é lógico concluir que tudo é uma ilusão, ou que é necessário procurar a verdade religiosa fora da Igreja?"

" Toca-se aqui numa das razões que me decidiram a ocupar-me das aparições " disse Padre Laurentin. Havia muito tempo que eu me havia dado conta de que muitos peregrinos e grupos de peregrinos eram como ovelhas sem pastor, que conheciam da Igreja só contradições que eram para eles incompreensíveis ... A crítica sistemática contra as aparições apaga o Espírito que se deveria reconhecer. Torna estéril aquilo que se deveria cultivar com prudência e caridade ... " (R. Laurentin, o.c., p.28-34)

René Laurentin afirma: " As aparições e sinais do céu ... sempre foram uma intervenção de Deus sempre presente, de modo algum surdo e mudo como os ídolos aos quais os Salmos ironizam (115,5; 135,17). O magistério da Igreja fala em nome de Cristo e com sua autoridade divina quando anuncia a sua Revelação, o Evangelho. Mas quando se trata de discernir se esta cura é um verdadeiro MILAGRE, uma obra de Deus, ou se realmente a Virgem que aparece a este ou a aquele vidente, trata-se de um fato à parte da vida da Igreja. Por maior que seja o cuidado dos peritos, convocados pelo bispo, na verificação das circunstâncias do fenômeno, não atingem a aparição em si mesma. O discernimento é uma conjetura. É provável mas não infalível. Por isso, seja antes como depois do juízo da Igreja, a liberdade cristã neste campo permanente ampla ..." (Le apparizioni dellacVergine, p.37).

3 - COMO PODEMOS SABER SE É NOSSA SENHORA QUE ESTÁ REALMENTE APARECENDO AQUI OU ALI?

RESPOSTA: René Laurentin, responde: " A esta pergunta deve-se responder de acordo com os critérios amadurecidos durante longo tempo na Igreja e recentemente condensados num breve documento (confidencial) da Congregação da Fé (25 de fevereiro de 1978).

Procuraremos, portanto, julgar (as aparições) segundo os critérios seguintes:

Há SINAIS sérios da presença de Deus, como diz Mons. Laurence: curas, conversões e outros milagres como a dança do sol em Fátima e outros sinais no céu? " (Le apparizioni della Vergine, p.52).

4 - GOSTARÍAMOS DE SABER A RESPEITO DA PRESENÇA DE NOSSA SENHORA " NA VIRADA DO SÉCULO ".

RESPOSTA: René Laurentin escreveu ainda: " A Virgem tem uma missão de Mãe nos confrontos do mundo. Esta missão é destinada a intensificar-se nos ÚLTIMOS TEMPOS, dizia Grignion de Monfort. A MULTIPLICAÇÃO DAS SUAS APARIÇÕES não corresponderá, talvez, a uma urgência: o fim do mundo ou, pelo menos, uma grande virada no limiar do III milênio?

Graças a alguns convites, fiz algumas investigações nos diversos lugares das aparições, com a finalidade de denunciar esta proliferação, mas os resultados das investigações foram positivos, muito mais freqüente do que eu pensava. As aparições que continuavam na Argentina (S. Nicolás) desde 1983, México (Terra Blanca) desde 1986, Rwanda (Kibeho) 1981-1983, Síria (Damasco) a partir de 1982, Itália (Schio) a partir de março de 1985 e S. Damiano de 1961 a 1970, Corea (Naju) a partir de junho de1985, Venezuela (Cua) 1976-1984), Nicarágua (Cuapa) de 8 de maio a 13 de outubro de 1980, Egito (Zeiton - Cairo) 1968, Egito (Shoubra - Cairo) 1986, Iugoslávia (Medjugorje) desde 1981 até hoje, Japão (Akita) 1973 - 1981, Espanha (Escorial) desde 1980 e Garabandal 1960 - 1965, não apresentavam um aspecto patológico. Produziam bons frutos. Se a minha pesquisa evidenciou algumas aparições ilusórias ou desvios, A MAIOR PARTE não mereceu o MAR DE LAMA no qual foram jogadas demasiado facilmente por causa de uma mínima imperfeição ... Algumas viagens recentes me deram a oportunidade de conhecer outras presumíveis aparições .

Quais São as normas da Igreja Católica em questões de Aparições?

Resposta: A Igreja Católica Apostólica Romana dá as seguintes normas sobre o modo como devem orientar-se as autoridades eclesiásticas nos casos de Aparições.
" Se Roma, mesmo depois de ter tomado minuciosas informações, não se apressa em dissuadir e reprimir (a participação nas orações)... é porque o documento elaborado pela Congregação para a doutrina da Fé, no tempo do Cardela Seper, apresenta uma sábia distinção que insiste em articular melhor juízo e pastoral em matéria de Aparições.
É certamente importante, que o discernimento seja elaborado com todos os meios científicos possíveis... Não se deve porém, perder de vista que as aparições são um fenômeno de fé dentro do povo de Deus e que os videntes e os cristãos envolvidos neste fenômeno devem ser assumidos pastoralmente do modo melhor e não do pior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário